O efeito é sempre a alegria. Em algum momento da vida você deve ter brincado com bolhas de sabão. E é assim sempre: agitar e soprar, desejando cada vez fazer uma maior, e que suba bem alto. Mas sabemos que são poucos segundos até que ela se desfaça, tão fugaz como começou.Vira ar novamente, some aos olhos e eis que vemos novamente soprando e soprando, e vendo-as desaparecer no vento.

A brincadeira é essa , simples assim. Não sei o que você responderia, mas vale matutar sobre uma questão: se você sabe que ela vai sumir em segundos, porque continuar? Não vale recorrer a aum adulto, bom seria sondar uma criança, pois nós talvez acharíamos dezenas de teorias para explicar a razão dessa tentativa fugaz de manter no ar e em maior tempo, uma simples bolha de sabão. Buscar nas composições de elemntos, força do vento ou até mesmo o jeito certo de soprar.
Uma criança apenas diria: porque é muito legal, divertido ver.

Fui conferir, claro, e quando vi os olhos brilhantes do meu amiguinho Gus me dando essa versão pueril e verdadeira me acendeu essa reflexão.

A vida é tão efêmera quanto uma bolha de sabão.

Ao nascermos a unica certeza que temos é que um dia morreremos, disso não há como escapar. Acordamos todos os dias sem um contador de vida futura. Sabemos apenas que temos horas, em tese. Ficamos acumulando coisas para quê? Sim, para um futuro que imaginamos estar distante e para o qual precisamos nos preparar com “muitos”. E por conta disso deixamos de rir mais, de ouvir mais, e principalmente de “parar” mais. Vida acelerada, compromissos e a sensação de que o tempo está voando.
Só esquecemos que a qualquer momento nossa vida pode… plim. Feito bolha de sabão.

Então melhor seria ser um bom gestor de suas horas, pois é o hoje que vc tem.
E se você chegou até aqui aproveite e liste os indicadores para o seu “contador de felicidade”:

  • não perca a chance de dar um bom dia, uma boa tarde, um agradecimento
  • reflita sobre o que deseja acumular e para que. Verá que não precisa de tudo isso
  • ouça música, experimente outros ritmos ou relembre os que embalaram seus sonhos
  • caminhe, deixe o carro apenas para trajetos obrigatórios, oxigene a mente
  • explore o diálogo com os que você tem afinidade, humor e carinho

Parei por aqui mas a lista pode aumentar e aqui o exercício é seu. E se tiver um tempinho no final de semana experimente a brincadeira da bolha de sabão.
Não se envergonhe se do nada começar a rir, pois assim fazem os que não deixaram sua poção criança desaparecer. Resgate.          Gleice Carvalho