Fazer acontecer, com inspiração é ainda melhor

Ah essa internet e suas façanhas para fazer burburinho. O fato é que muita gente #partiuabrirobaú para encontrar sua foto de 2009, para contrapor com uma atual, dentro do desafio apelidado de ’10 years challenge’ .  Notícias fake or not também davam conta de tratar-se de uma armadilha para compor rostos em fases distintas e sabe se lá o que se fazer com isso. Engenhocas mentais de hackers pensam de um tudo, e faz tempo.

Há os que gostaram de seus avanços na cintura, cabelo e visual dos braços malhados nas academias. Outros preferiram nem pensar nos quilinhos a mais que a balança denuncia, quanto mais uma imagem no instagram. O riso e o deboche invadiram também as telinhas.

Exercícios valem pra tudo, e esse aproveitei para a reflexão do que podemos fazer daqui 10 anos. Sem lançar moda e parecer único, até porque certamente alguém deve ter tido essa ideia. Mas a pensar pelo clima desse verão brasil com um sol pra cada um, vale a gente parar um pouquinho e imaginar que podemos sim fazer algo. Porque 10 anos vão passar assim, num piscar. Não precisamos muito esforço para entender que o clima está estranho, no Brasil e no mundo, consequência das mudanças climáticas afetadas por um sem número de agressões à natureza. Como a lei de causa e efeito é infalível, estamos aí, seres humanos em meio ao cenário que nós próprios criamos, ou deixamos que o fizessem.

   Minha inspiração foi ao rever um vídeo sobre o trabalho da ativista, ganhadora do Nobel da Paz de 2004, Wangari Maathai . Bióloga e ecologista, mãe de 3 filhos, criou o cinturão Verde do Quenia, com a intenção de promover e proteger a biodiversidade.  Ela tinha 65 anos e conseguiu sensibilizar pessoas comuns, em especial mulheres, para usar os braços, e o coração, para recuperar as florestas para as gerações futuras.

Aos poucos, elas foram percebendo que o plantio gerava emprego, combustível, comida, abrigo, melhorava o solo e ajudava a manter as reservas de água. Nas últimas três décadas, as mulheres do Quênia plantaram mais de 40 milhões de árvores.

E você o que pode começar hoje? #daquia10anos…

 

Gleice Carvalho/ACP